quarta-feira, 19 de agosto de 2015

segunda-feira, 10 de junho de 2013

Entre o fato e a sentença, o percalço é longo!; por Bárbara Baleixe


Capítulo 1: O processo padece mesmo é da falta de sol. Por entre folhas agrupadas em pastas padronizadas, empilhadas em cubículos fechados, cheios de biombos beges arrumados às avessas de todo senso estético, as narrativas e rogos perdem a sua força. Por entre anos isolados em raciocínios representados em suportes midiáticos pouco variados, respirando ácaros e mofo, sem tocar as situações despidas da técnica com a qual os documentos tentam representar, os operadores perdem a sua lógica.
Que todos se embebessem de conforto, paciência e arte diante de cada causo, com um olhar altero. Que pra cada elementar houvesse uma respiração paciente e o som de gente conversando, rindo e passando ao longe. Que os tribunais fossem em bosques e as demoras se justificassem unicamente pelos momentos ociosos, reflexivos e contemplativos necessários para os julgadores contestarem a mecanização da análise.
Mas essas coisas não têm como ser assim. Mas calma. Mesmo sem ser assim preste-se atenção porque a parábola da história dele não cabe nesse prazo preclusivo, nesse momento curto, mixo, em que toda situação é contada e é convertida em arquivo de baixa resolução, daqueles prontos para os mais rápidos envios virtuais, intitulado invariavelmente de “dos fatos” nas frias exordiais. Esqueçam, doutores, o sol recortado pelo curto período das férias nas praias em Miami - cuja passagem aérea compensa o preço das pechinchas das outlets, certo? - ou, de repente, do sol recortado por cruzeiros nas ilhas gregas - sol este que incide bem mais comumente naquelas senhoras que já vestem um ar sofisticado de cabelo cortados 3 dedos mais longos que o Chanel, cuidadosamente penteados em um loiro discreto - e tragam o sol também pra conversa de quem tá precisando agora do direito. Vejam, vejam como a pele dele transpira com a luz que passou a entrar no cômodo. E como o advogado, o primeiro a ser procurado, pareceu menos doutor competindo com os ruídos de ônibus e pregões dos vendedores de raspa-raspa e caldo de cana na rua que vem da janela, agora aberta.
Assim com um pouco mais de barulho, de vai e vem, de vida, o moço pode finalmente narrar (e nós, ouvir!)

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

domingo, 18 de novembro de 2012

1º Prêmio para o Blog da FAU

 
O Blog que criamos para a Faculdade de Arquitetura e Urbanismo recebeu a primeira colocação no Prêmio: Ideias e Práticas Inovadoras em Gestão Universitária 2012 da Universiade Federal do Pará.
Link de acesso ao Blog da FAU: http://fauufpa.wordpress.com/.

terça-feira, 23 de outubro de 2012

segunda-feira, 22 de outubro de 2012